The Tokyo Zodiac Murders, um romance de mistério japonês

Por Raul Sousa – Gostaria, antes de tudo, de agradecer ao Soji Shimada-sensei pela forma extremamente educada que me tratou ao longo desses meses. Eu sou extremamente grato por tudo. Muitíssimo obrigado, Shimada-sensei!

The Tokyo Zodiac Murders (originalmente, Senseijutsu Satsujin Jiken) foi escrito por Soji Shimada em 1981, marcando sua estreia no gênero. O livro chamou a atenção e foi um dos livros finalistas do Edogawa Rampo Awards. Atualmente o senhor Shimada conta com mais de 100 obras em seu repertório, incluindo filmes e mangás. É considerado por muitos autores e especialistas como uma das melhores obras da literatura policial. Soji Shimada é um adepto do estilo honkaku, uma forma ortodoxa de escrever mistérios e que se aproximava ao estilo ocidental da Era de Ouro das histórias de mistério.

O livro trata da investigação de Kiyoshi Mitarai e Kazumi Ishioka sobre os Assassinatos do Zodíaco em Tóquio, uma série de assassinatos ocorrida em 1936. O livro começa com uma carta de Heikichi Umezawa explicando que era atormentado por um espírito maligno e que esse o impelia a criar uma mulher perfeita que aparecia em seus sonhos. Heikichi decide matar e desmembrar quatro de suas filhas e duas sobrinhas, usando noções de astrologia e alquimia para justificar os crimes e a criação da mulher perfeita chamada Azoth.

A primeira reviravolta acontece quando descobrimos que Heikichi fora assassinado antes que pudesse atingir seu objetivo, porém suas filhas e sobrinhas foram assassinadas e desmembradas mesmo após sua morte. A genialidade do caso começa desde as primeiras páginas. O prólogo, se fosse publicado de maneira isolada como um conto, conseguiria chamar a atenção de todos os leitores da mesma maneira que o livro inteiro chama. O senhor Shimada também é bastante cuidadoso com o leitor, provendo todas as pistas, incluindo tabelas e mapas. Próximo ao fim da história há o rompimento da quarta parede e o próprio senhor Shimada desafia o leitor a solucionar o caso. Essa técnica foi executada de maneira tão boa que um leitor curioso pode ler o desafio sem receber nenhuma revelação que estrague sua experiência com o livro.

Soji Shimada dá uma aula sobre o estilo ortodoxo (e, de certa forma, sobre a Era de Ouro) em seu livro. Os elementos grotescos, bizarros e desconfortantes são misturados ao crime aparentemente impossível, tornando uma história sólida se seguirmos a fórmula clássica.

Kiyoshi Mitarai é apresentado como um desinteressado e preguiçoso, porém com vasto conhecimento e um apego enorme ao raciocínio lógico. O crescimento do personagem na história é incrível. Kazumi Ishioka não é passivo como Watson ou Hastings e isso é algo extremamente positivo. Ele tenta solucionar o caso antes de Kiyoshi para provar ao amigo que tem capacidade dedutiva também. A combinação dos dois é mais ácida que Holmes-Watson e Poirot-Hastings, porém com o passar da história vamos vendo que os dois são ótimos amigos.

O livro nunca recebeu uma edição em português, embora o Soji Shimada-sensei tenha bastante interesse em trazer o livro para o Brasil. Um outro livro além de The Tokyo Zodiac Murders foi lançado em inglês. The Murder in the Crooked House (Naname Yashiki no Hanzai) apresenta um mistério ainda mais grotesco e mais intrincado ainda. Ambos os livros estão a venda na Amazon.

 

(Imagens: Wikipedia, Amazon)

 

Raul Sousa

Estudante de economia, pesquisador e colecionador de obras policiais. Nas horas vagas, joga jogos de detetive ou escreve.
Raul Sousa
Compartilhe aqui!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Raul Sousa

Estudante de economia, pesquisador e colecionador de obras policiais. Nas horas vagas, joga jogos de detetive ou escreve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!